Tuesday, September 27, 2005

O Momento
O relógio de pulso que parou.
A vida tornara-se fugaz como
uma borboleta esvoaçante.
O seu pestanejar delicado e belo
dissimulara a brevidade temporal.



Cada ser humano é uma ampulheta orgânica.

12 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Breve momento é aquele que dura um beijo teu, por mais prolongado que seja...

27/9/05 13:14  
Blogger Daniel Aladiah said...

Tu, que te escondes atrás duma pedra.... sim, tu! Os teus beijos devem ser momentos com sabor a eternidade... :)
Um beijo

27/9/05 18:53  
Blogger TMara said...

pois é! adorei a frase final, em letrinha miudinha....Bjs e ;)

28/9/05 17:28  
Blogger Daniel Aladiah said...

Caro Petrus (ou antes querida Ana...)
Com tanto beijo, nem deves ter tempo de olhar para o relógio... :)
Já agora, também um beijo meu
Daniel

29/9/05 10:27  
Blogger Nilson Barcelli said...

Raquel,
Os comentadores que me antecederam estão a assediar-te ou é só impressão minha? Então o anónimo... como eu gostaria de ter dito o que ele disse... mas qualquer dia perco o medo e digo mesmo...
Olha que há quem não tenha ampulheta nenhuma, ou então tem-na mas não faz uso dela... o que ainda será pior...
Li sem pestanejar umas 5 vezes o teu poema e fiquei sem ter certeza de quem pestanejava. Se a borboleta, se o relógio de pulso ou se alguém invisível no texto.
Sem brincadeiras (tenho que dizer isto para não me saltares em cima...), gostei do teu poema e da frase em rodapé. Para além de outras coisas, ele mostra a tua versatilidade nos diferentes géneros e tamanhos (literários, claro...).
Beijinhos

29/9/05 12:28  
Blogger sonhos sonhados said...

Raquel

...o tempo...
a efemeridade do tempo...
a sua fugacidade!

o tempo tudo marca!
deixando-nos...
pétalas aromáticas
ou
caules espinhosos.

beijux létinha.

29/9/05 15:35  
Blogger GNM said...

Belas palavras...

30/9/05 02:49  
Blogger Eclipse said...

Um relógio pode parar...

mas o Tempo e o Mundo,
não páram...

Abraços

30/9/05 12:08  
Blogger Vampiria said...

a tua existencia, nos tesua textos, pelo menos parece tao matematica, ate na maeira como escreves, tao ordeira, e ao memso tempo fascinante, li-te, e gostei.

1/10/05 13:24  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Há momentos na vida em que todos nós gostavamos que o tempo parasse.
Bom domingo.
Bjs.

1/10/05 22:24  
Blogger mgbon said...

O tempo é daquelas coisas que nos transcende. Ou é veloz, ou não passa!
Depende dos momentos!..

2/10/05 17:05  
Blogger Jorge said...

depende... essa forma de sentir o tempo...
depende talvez da energia com que estamos. não tanto a fisica, mas a outra, a que faz fervilhar a mente e gera uma certa impressão abaixo da pele.

ó nilson, é ampulheta e não agulheta, pá :) confere ai.

2/10/05 17:30  

Post a Comment

<< Home